terça-feira, 1 de dezembro de 2009

UMA VIDA ESPECIAL








Eu tenho um amigo, que nossas vidas esbarraram uma na outra,
quando nasceu minha filha, a dele também.
Depois chegou o meu filho e o dele também chegou.
Emoções idênticas, chegadas resplandecentes, desafios,
resignação, renuncia da própria vida para o esteio de outras.
Encontramos todos os dias, em diversas situações e lugares.
Sempre, ele adianta as conquistas do filho com louvor e esmero.
O cuidado, a atenção, a sua solicitude ao filho é magnífica.
Uma entrega total, algo incondicional, incomum.
Nossos filhos cresceram, e cada um trilhou seu caminho,
escolas diferentes, amigos diferentes e destino.
O meu tem em seus combates a certeza que não pode esmorecer,
acorda como um espadachim para sobreviver as rudezas do dia,
e procura dormir como um poeta apaixonado, em noites de luar.
Nossos filhos são filhos da diferença, mais são iguais...
O meu é lúcido, um sobrevivente do mundo competitivo.
O filho do meu amigo tem mais pureza na alma,
É ESPECIAL.
Ao longo de nossas vidas preservamos a equidade entre eles,
mesmo porque a intensidade de nosso amor por eles é o mesmo.
Eu e meu filho aprendemos mais com eles...do que eles conosco.
Eu e meu amigo temos filhos diferentes,
um não é mais que o outro, apenas diferentes.
O filho dele chegou para existir de forma especial,
o meu de forma comum.

Ari Mota

4 comentários:

Lara Amaral disse...

Lindo texto, colega Ari. Fiquei emocionada com sua prosa. Como é bom entender que aprendemos de várias formas, com pessoas de todas as idades e, principalmente, com pessoas especiais que têm uma missão mais árdua que a nossa aqui.

Beijos.

Elaine Barnes disse...

Uma beleza de relato amigo. Tenho uma amiga há 30 anos, ela tem dois meninos e eu duas meninas, Casamos juntas, tivemos os filhos mais velhos com diferença de 1 mes, curtimos a vida os 4 amigos, nos separamos com 1 mes de diferença e agora nossos filhos foram pais ao mesmo tempo.Incrível né?! Moramos em extremos eu na zn e ela na zs. Somos como irmãs. É tão bom ter amigos e partilhar né?! Amar nas adversidades. bjão!

Bruno disse...

Quando meus olhos pararam extasiados no último ponto deste relato, senti que eles estavam úmidos.
Lindíssimo texto Pai !
Beijão

Bruno Mota

Juliana Lira disse...

Não, não há quem exista de modo comum.Sem dúvida seu filho deve ser fantástico,mas reconheço que esses seres especiais que nascem na vida de alguém,muda nossas vidas para sempre!
Cada conquista, cada desafio superado dá mais fôlego pra vida!
Lindo post.

Milhões de beijos