quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

O MARATONISTA










Eu me lembro quando na juventude, todos nós tínhamos um sonho.
Era um grupo pequeno, mas os sonhos eram grandes,imensos.
Eram colocados na roda de amigos, de varias formas e tamanho.
Um sonhava ser medico... hoje é o melhor que conheço.
Outro queria ser engenheiro...constrói pontes pelo mundo,
soube recentemente que tem uma tendência especial,
constrói pontes também entre as almas separadas,
é o mais forte do grupo, o mais intenso, índole impecável.
Tem um que o conheço muito bem, metamorfoseou-se,
anda entretido com as palavras, transfigurou-se em poeta.
Tem um que foi assistir Woodstock e até hoje não chegou,
dizem que esta vindo a pé, não sei por onde, mas esta vindo.
Outro não se conformou com as diferenças do mundo,
saiu a procura de justiça, tombou no povoado de Higueras,
na selva de Santa Cruz de La Sierra, sozinho, abandonado.
Um deles despertava já naquela época mais que um sonho,
um nocivo pesadelo, queria o poder, tirania, é um político.
Já o mais versado de todos, já tinha o poder da persuasão,
comercializa a fé, burla os incautos, é o mentiroso de plantão.
Mas...
O melhor de todos, o que tinha o sonho mais primoroso,
foi e é, aquele que sonhava vencer uma maratona.
Dia desses, passei por ele na estrada, continua correndo.
Nunca venceu...cada ano sua colocação,
distancia cada vez mais do primeiro lugar.
O que me impressiona não é o fato de nunca ter vencido,
nem de nunca ter desistido do seu sonho.
O que me impressiona é o sorriso que ele traz no rosto.
Desde menino... era feliz.

Ari Mota

6 comentários:

paula barros disse...

Ari, leio seu blog todo dia, muitas vezes não digo nada.

Mas se eu não disser você nem vai saber, não é mesmo?

Gosto da sua forma de escrever, algumas me identifico, sempre fico admirando, o sentimento, a escrita, a reflexão que me leva a ficar contemplando os belos textos.

abraços.

Ana Lúcia Porto disse...

Oi Ari,

Eu mesma se tive e já me enganei com tantos sonhos, que não poderiam mesmo serem realizados, pois eram no fundo, coisas de criança sem certeza de nada ou descobertos que não fariam sentido em minha vida, mais.

Contudo, alguns sonhos da adolescência ainda carrego na esperança de realizá-los.

Não é muito fácil descobrir o caminho...

Beijos,
Ana Lúcia.

Lara Amaral disse...

Que lindo, Ari! Vc sempre me emociona... Beijos ternos. =)

Sonhadora disse...

Gosto do que escreve.
Beijinhos
sonhadora

P o e s i @ e m F o c o ! disse...

Obgdo pela visita ao meu blog e parabéns pelo seu,é emocionante seus textos.gde abraço

Anita disse...

Ari,
O mais importante é nunca desistirmos dos nosso sonhos.
Podemos até alterar algumas coisas, pois a mudança é natural e normalmente positiva, mas nunca podemos desistir, mesmo quando é isso que apetece.A nossa Felicidade depende disso e quando queremos muito uma coisa,ela vai acontecer.Tenho a certeza.E o seu sonho, qual é?