sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

A VIDA EM UM SORRISO















Caminho todas as manhas de forma habitual... e feliz.
Nas minhas manhas encontro com vários tipos, diversas personalidades,
uns correm, outros andam simplesmente, uns em silêncio,
outros ouvindo algo, já encontrei um que estava dançando sozinho.
E muitos passam por mim falando, talvez com a própria alma,
uns de preto, outros coloridos, magros, obesos, outros nem tanto,
sempre encontro os desesperados, os calmos, os solitários como eu.
Nos últimos meses, duas senhoras de forma e expressão antagônica,
passam por mim...e não pude deixar de percebê-las:
A primeira, ar sisudo, olhar introvertido, andar abstraído,
traz em sua mão um terço, ora desesperadamente, ferozmente.
Passa por mim, e não me vê, e por diversas vezes procuro o seu olhar,
não os encontro, são olhares de arrogância, gestos vaidosos,
manifestação presunçosa... como se Deus fosse sua propriedade,
e que somente ela o representa nesta fugaz vida terrena.
Passa e não percebe as pessoas, os pássaros, em fim... o mundo.
Tem uma manifestação facial carregada de ódio, desdém,
parece-me que traz na sua personalidade aversão ao encontro.
A segunda, foi acometida de alguma doença, tem uma paralisia,
sente dificuldade de locomoção, e tem o uso de uma bengala.
Mas, caminha... sorrindo, traz consigo uma revoada de borboletas,
em vez do terço segura firme a bengala, não acena com as mãos,
o faz com um sorriso, aberto, livre, sem mácula, aventuroso.
Celebra a vida, sem tê-la na íntegra, olha tudo e todos, brilha.
Aprendeu que a vida é uma existência imprevisível, vive em um sorriso.
Sorri pra vida, para as pessoas, para o mundo, e para ela mesma.
Quando a encontro é minha melhor oração do dia.

Em seu sorriso encontro... paz, perseverança e Deus.

Ari Mota

3 comentários:

paula barros disse...

Ari, hoje você vai me permitir fazer uma interferência no seu texto, sou tão sua fã, que gostaria de que não ficasse chateado.

"são olhares de arrogância, gestos vaidosos,
manifestação presunçosa"

Será Ari? Ou será uma pessoa sofrida, precisando tanto de Deus, e de um sorriso e de uma palavra amiga.

Sugiro, que você por você, por mim, insista no olhar, arrisque um bom dia, sem julgá-la, sem inferir sobre o comportamento dela, talvez ela precise tanto. Tente, e depois nos conte.

Você, acredito pelos seus textos, que pode e muito distribuir um sorriso e falar um belo bom dia.

abraços

paula barros disse...

Ari, e eu sempre leio você na tentativa de aprender um pouquinho que seja a melhorar. Porque você me faz refletir.

Então, sendo assim, vamos nos ajudando e crescendo, libertando a nossa alma para voos mais livres.

abraço amigo!

Dú Karmona disse...

Lindo seu espaço aqui... lindo!
Textos reflexivos, de quem sabe ver a vida...com amor!
Lindo vc!
bj na alma!