domingo, 13 de dezembro de 2009

LIBERTAR A ALMA














Quando do meu rompimento para a vida, recebi um corpo e uma alma.
E ao longo da caminhada tive que edificar duas grandes obras.
O destino inda foi complacente comigo, me permitiu decidir,
e disse-me que o corpo seria finito e a alma persistiria eternamente,
e diante disso teria que construir duas moradias para a minha alma.
Coexistiram assim dois caminhos a percorrer, aprisionar ou libertar.
Na juventude decidi construir um presídio, guardei minha alma lá.
Foram ao longo dos anos, entrando naquela cela minúscula,
o preconceito... que adormeceu ao meu lado e no chão, por vários anos.
Depois a arrogância ficou nos meus pés, dia e noite, sem trégua.
E logo em seguida a iniqüidade, que num canto da cela, olhava-me.
Como a vida me permitira decidir, inferi o engano, o falso, a ilusão.
Numa noite de nevoeiro, sorrateiramente fugi, cortei as correntes.
No dia seguinte, logo pela manha, como ainda me restava material,
dei principio, a uma grande e ultima obra, a obra da minha vida.
Na montanha mais próxima, construí em aclive, uma rampa,
a ultima e derradeira morada da minha alma, a chamei de Resiliência.
Meus vôos são diários e até noturnos, não me permito, não voar,
e são minhas companhias: a sensatez, o equilíbrio e o caráter,
mais também lançam-se no ar, e ao meu lado, a felicidade,
a liberdade, algumas bailarinas loucas, e as borboletas.
E somos todos livres...temos um pouco de ternura e loucura,
Nossas acrobacias embelezam a nós e ao universo, somos felizes.

Meus vôos levaram-me ao encontro da humildade, e ela,
ensinou-me a vencer em silencio e perder sem ser humilhado.
Passei a construir e a doar Asas, a quem habilitasse a voar,
Descobri uma multidão ávida para voar livre e profundo.


Ari Mota

6 comentários:

Sonia Pallone disse...

Poucas vezes li um texto tão pungente e descoberto, sem véus que o encubram...Nada como ser verdadeiro acima de tudo. Que bom que pude estar aqui hoje. Um beijo grande.

Andresa disse...

Sim amigo, concordo, somos todos livres... Podemos voar... Podemos escolher os caminhos que vamos trilhar.....
A vida é nosso
O sonho é nosso
Somos livres para sonhar
Beijos
Andresa

Ana Lúcia Porto disse...

Oi Ari,

Lutamos e sofremos até para sermos felizes...

Beijos,
Ana Lúcia.

Lara Amaral disse...

Prende-se a alma até que alguém ajude a libertá-la. Alguns já a soltam tão logo que a perdem antes de terminado o tempo do corpo.

Maravilhoso texto!

paula barros disse...

Ari, são sempre tão bonitos os seus textos, bonitos principalmente em significados.

E assim vai dando asas a quem ler.

abraço

Sonhadora disse...

Ari
Belos textos
Profundos
Beijinhos