segunda-feira, 2 de novembro de 2009

INTERVALO
















Não percebi a chegada,
não entendi a vinda,
não sabia por que estar aqui.
Nasce uma alma...
Apresentei-me pra vida.
Mas, logo apresentaram-me a partida.
Diziam que teria que ir embora.
Chamaram isso de Morte.
Entrei em desespero, não queria partir.
Depois de um bom tempo.
Percebi que entre o inicio e o fim, tinha um intervalo.
Chamei isso de vida.
Desde então minha vida é apenas um intervalo.
E não tenho muito tempo.
Preciso ser feliz, agora.

Ari Mota

2 comentários:

claudete disse...

Olá Ary , foi a melhor definição hoje que encontrei para a VIDA , um "intervalo entre a vinda e a partida", é isto mesmo, estamos aqui, humanos ou animais de "passagem". É uma necessidade de nossa mente pensar assim? é uma compulsão de procurar entender a ordem que deve existir em todas as coisas? O princípio e o fim? Não sei...mas de uma coisa tenho certeza não acredito que sejamos meras peças aleatórias neste Universo...mas que temos um objetivo de aqui estarmos. Lindo seu poema.
Abraços.

paula barros disse...

Poemas bonitos na escrita e fortes de sentimentos. Estava por aqui lendo todos.

"Desde então minha vida é apenas um intervalo.
E não tenho muito tempo.
Preciso ser feliz, agora'

Demoramos a nos darmos conta disso, e decidir e conseguir ser feliz.