quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

O RESPEITO


Tenho dois amigos de infância, ambos envelhecidos como eu,
lembram-me da distancia entre eles...
 
Um preso aos sonhos e caminho dos outros... o outro livre.
Um deles enroscava-se em sentimentos alheios, emoldurava-se na janela da vida,
aprisionava-se a outros olhares, tomava poeira dos que estavam em sua frente:
só para segui-los, ou tentar conduzi-los pelos destinos da existência.
Ele sempre procurava saber de nossos amores, segredos, e nossa essencialidade,
na verdade ele intervinha em nossas vontades, em nossos desejos, em nossos vôos.
Ele nos olhava... como um tratador de ovelhas, e nós, só o queríamos como um amigo.
Dia desses... o encontrei berrando num galpão, com uns incautos... e um Deus surdo.
Tive a impressão que não mudara... continua como tratador de ovelhas.
Quando jovens tínhamos sonhos diferentes, caminhos difusos.
Mas, o outro amigo “o livre“, não é melhor nem maior... é ele.
Suscita a individualidade, aspira somente carregar sua própria alma,
caminha solto, sem amarras, nunca prendeu ninguém a sua vontade,
venera o livre arbítrio, permeia os vôos e os saltos sobre os abismos do medo,
respira o acaso do sorriso e jamais ofusca o brilho de outras almas, vive desatado.
O encontro sempre... recebe-me com um beijo na testa... é puro como uma borboleta.
Nunca quis acessar minha intimidade.... nem direcionar meu rumo, meu destino,
ele é meu melhor amigo... não sabe nada de mim... nem eu dele.
Há uma convivência pacifica entre nossas diferenças,
e de comum... o respeito.

Ari Mota

9 comentários:

Marcello disse...

Ser livre é embriagar os sentidos, e nos faz iluminar os caminhos alheios mesmo sem querer.

Como sempre, ótimo.

Boa semana.

Sonhadora disse...

Ari
Sempre belos texto, que são vida de todos nós.

beijinhos

Sonia Pallone disse...

Depois de tropeçar em algumas pedras pelos caminhos, retorno com amor, pra suavizar as feridas com a sua poesia...Bjs.

claudete disse...

Parabéns Ari linda lição de amizade e lealdade para com seus amigos , respeitando suas diferenças e limites. Abraços.

Cadinho RoCo disse...

Nos identificamos com os outros e com o mundo é pelas diferenças.
Cadinho RoCo

Lara Amaral disse...

Assim é ser verdadeiramente leal.

Beijos, querido Ari!

Canduxa disse...

Linda história de caminhos a percorrer...escolhas diferentes.
Amar pelo que se é...sem tentar saber o que se tem, o que se faz.
Amar pelo sentir da alma.... que voa sem amarras, porque também não algema ninguem.
Respeitar,
para se ser respeitado!

abraço amigo do outro lado do mar

paula barros disse...

Ari, estou atualizando a leitura. É muito bom ler seus textos, as mensagens contidas nele.

A homenagem a seus filhos está muito emocionante.

bom período de carnaval, do seu jeito.

abraço

Denise disse...

O amor precisa da liberdade para existir. A humanidade, do respeito, para se relacionar.

Lindo texto!
Bom carnaval, amigo.
Beijos