terça-feira, 13 de abril de 2010

ESCULPIR A ALMA



Durante sua passagem por aqui...
Não se esqueça de evoluir, crescer, despontar como vencedor.
Conquistar seu espaço, seus amores, suas coisas.
Colecionar abraços, afagos, e beijos ardentes.
Durante sua estada aqui...
Pode até espelhar em Gengis Khan, e sair sangrando a carne,
transpondo muralhas e demolindo almas.
E se tudo for pouco, siga o rastro de Alexandre, o grande,
conquiste coisas, terras, abrace o poder, distribua o ódio.
Mas, melhor  mesmo... seria se resolvesse emocionar o mundo,
como o fez, Beethoven...
e depois reger uma orquestra de borboletas,
e conquistar uma bailarina louca e sair por ai,
recitando Fernando Pessoa, com amor.
Durante sua permanência aqui...
Transite serenamente como se voasse em noites de luar,
olhe ternamente, seja afável com a vida, e consigo mesmo,
não se apequene no viver, intensifique o riso, a graça, o afeto.
Viva todas as emoções, todos os vôos, seja livre de consciência.
Procure no escopo da sua existência, esculpir a própria alma.
Edificar uma pessoa,
um caráter,
um nome,
uma vida,
não permita o vazio,
o ócio da alma.

Ari Mota


5 comentários:

Denise disse...

Ah! Ari...essa orquestra de borboletas seria um espetáculo imperdível que eu não perderia de assistir!! Diante de tanta sensibilidade, meu amigo, é impossível uma alma apequenar-se...a minha está alimentada hoje, pela dose maciça de sentimentos maravilhosos que colhi dessa vida que não se cansa de me surpreender. Obrigada pela parte que te toca nessa cota de emoção!

Abraço forte.

Marcello disse...

Mestre !!!!

Reger uma orquestra de borboletas,
e conquistar uma bailarina louca e sair por ai, recitando Fernando Pessoa, com amor.

Nem tenho palavras pra comentar as inúmeras imagens que tive depois de ler suas palavras..

Abraços

Lara Amaral disse...

Muito, muito lindo esse texto!

Sonia Pallone disse...

Terrível o ócio de alma! Belo texto Ari, gosto de vir aqui...É sempre um momento de carinho pra alma. Bjs

LuH disse...

Quanta ternura, quanta sensibilidade...
Não me canso de contemplar suas obras, tão grandiosas quanto abastecedoras
Amei, amei, estou encantada!!
Alimento para almas, asas para borboletas...

" Na profundidade de nossas existências tudo se torma lei"

Um gde abraço, parabéns!