quinta-feira, 25 de março de 2010

UM JANTAR COM A ALMA



Às vezes é preciso desconstruir paradigmas,
demolir algumas pontes,
obstruir algumas estradas, abandonar algumas avenidas
e fazer uso de algumas trilhas.
Às vezes mais que preciso... é refazer os caminhos,
redefinir o pensar.
E interromper esta vida louca, esta voracidade do conseguir,
do conquistar.
É hora de voltar-se para dentro da alma,
destes infindos caminhos desconhecidos,
é hora de suspender esta impetuosidade do consumir,
do ter,
do endinheirar-se.
É hora de abandonar esta agenda alucinante, este amealhar coisas,
poderes.
É o momento de se recolher... mas, prepare sua casa para te receber.
Limpe as gavetas...
jogue fora as quinquilharias do passado sem perder a própria história.
Desapegue das inutilidades que guardou,
dos  calendários antigos, das cartas de amor que não respondeu,
das canetas sem uso, dos beijos que não deu
os chaveiros inúteis, dos amores perdidos,
das medalhas na cabeceira da cama, dos desejos escondidos,
das fotos nuas de Brigite Bardot.
Abra o armário, jogue fora todos os ressentimentos,
todas as magoas que te incomoda, todos os amores que não vingou.
Limpe toda a casa... prepare um lindo encontro... com flores e velas,
perfumes, musicas, borboletas e alegria,
jogue na sala pétalas de rosas vermelhas,
e convide sua alma para jantar.

Ari Mota

7 comentários:

Lara Amaral disse...

Poeta, vim ler-te para lavar a alma.

Beijo!

Denise disse...

Encerro o dia aqui, impregnada dessa energia infinitamente complacente, autorizando meus sonhos a visitar esse lugar encantado que habita em mim...viajante noturna do além...além tudo-que-existe, para o essencial-de-viver...

Obrigada por embalar meu sono com esta beleza sem par!

Elaine Barnes disse...

Uma beleza de texto viu! É preciso esvaziar para entrar o novo, dar espaço pra ele.
Já convidei minha alma a dançar lembra? rs...
A seu conselho sem dúvida a convidarei agora a jantar. Bom apetite para todos. Montão de bjs e abraços

paula barros disse...

O corre corre, a ganância, o consumismo, talvez mostre a nossa incapacidade de "preparar a casa para nos receber", e fugimos eternamente desse recolhimento.

Gosto de ler e refletir.

beijo

Sonhadora disse...

Ari
Muito belo o teu texto...cheio de belos conselhos.

beijinhos
Sonhadora

Sonia Pallone disse...

Sua poesia é um frasco valioso, de perfume e carinho pra alma...bjs.

Edith Lobato disse...

Penso que sempre é preciso estarmos atentos a esta poda, pois ao longo do caminho vamos agregando lodos que acabam tornando os passos pesados. Precisamos limar, aparar e depois fazer a limpeza do terreno, dá uma adubada e fertilizar com os sentimentos puros. Belo texto e bom fim de semana.