domingo, 21 de março de 2010

O RECICLADOR


Quando a vida lhe exigir crescimento...
Utilize todos os meios  para a intelectualidade, absorva tudo,
retire dos livros todos os sentimentos, e das palavras todas as emoções.
Conheça a lógica, o abstrato, o imensurável, e a eficácia da inteligência,
percorra todos os cantos do mundo, todas as culturas, e semânticas da vida,
não desperdice o tempo, nem deixe ociosa a mente... exercite a alma.
Estude nas melhores casas de ensino do planeta, escute os sábios contemporâneos,
vasculhe o passado e tire dele, toda a experiência que a humanidade teve,
aprenda novas línguas, novos hábitos, procure entender novos credos,
se possível viaje pelo cosmo... mesmo em sonho, e diligencie novas existências.
E gradue-se, faça uma pós-graduação, e depois mestrado...
E saia pelos caminhos da vida fazendo crescer os outros e você mesmo.
Mas, na verdade... e depois de tudo isso,
não queira criar novos métodos e nem novos projetos, que mude o mundo,
as grandes idéias,  o destino as trouxe nos braços da duvida,
e o acaso depositou na memória de alguns a descoberta.
Se, contudo persistir a suspeita que ainda lhe falta algo.
Olhe... pela janela.
É hora de aprender na escola da vida, o que o livro não contém.
Na sua esquina existe um catador de papel, o reciclador.
Ele será doravante seu único e maior professor.
E em metáfora...
Faça como ele... entre alma adentro catando os papeis da sua vida.
São rascunhos que você jogou pelo caminho,
são papeis amarrotados... das cartas de amor que não mandou,
são fotografias enrugadas pelo tempo que você não moldurou,
são pedaços de cetim das fantasias que usou,
são fragmentos que espalhou pela estrada onde passou.
Recolha-os...
É hora de reciclar os sentimentos,  as magoas, os desencantos.
Faça uma triagem do que viveu, separe o que valeu.
O que sobrou o transforme em adubo para a alma,
seja ternamente um reciclador.

Ari Mota

10 comentários:

Nara Sales disse...

LINDO.

Lara Amaral disse...

Gostei, poeta, ótimo texto!

Beijo, bom domingo!

Canduxa disse...

É isso, meu querido amigo de além mar,
a sabedoria interior leva-nos a ser grandes recicladores.
É esse o nosso grande objectivo, pois todo o conhecimento que se adquire ao logo da vida não nos dá tempo para ouvirmos o nosso coração, a nossa essência.....é aí que reside a nossa verdade, o nosso querer, o nosso poder e a nossa luz.
Como sempre um texto maravilhoso.

um grande abraço

Edith Lobato disse...

Dizer que teu texto é belo, ainda é pouco, ele é um um texto altamente reflexivo e providencial aos dias digamos quase fúteis que vivemos hoje, onde a maioria das coisas gira em torno do dinheiro. Tens razão, o maior livro onde pode conseguir o maior saber é a Vida. Parabéns e boa semana.

Denise disse...

Estas palavras retratam a sapiência da alma viajante...me apaixono tanto por alguns textos, fico tão tocada pelas palavras valentes e dóceis que peço licença para levar comigo o tesouro que escreveu...

Boa semana Ari, a energia que encontro aqui sempre invade meu coração.
bjos

claudete disse...

A cada postagem você se reinventa com maestria e beleza no uso das palavras compondo uma bela e singela poesia . Abraços, Ary

Ana Lúcia Porto disse...

Ari,

Dessa vez, eu estou passando por aqui, tão somente para lhe dizer que eu ficaria muito feliz se você fosse comer uma fatia de bolo, comigo, em meu blog...

Estou lhe aguardando.

Beijos,
Ana Lúcia.

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Ari,

Queria tanto ter essa clareza de mente que voce tem.
Faz tudo parecer assim...não digo fácl, mas contornável.

Beijo

=)

Guida Linhares disse...

Excelente texto, que nos leva à reflexão quanto à reciclagem necessária em todos os instantes da vida que não estiverem trazendo serenidade e alegria ao coração. Abraços poéticos, guida

Sonia Pallone disse...

Ah! moço que escreve bonito !!! Seus textos poéticos são de uma beleza
infinita...Bjs.