terça-feira, 28 de setembro de 2010

EQUILÍBRIO


Por tempos recorri a instrumentos para atingir coerência no meu
existir.
Vaguei desmedidamente a procura de harmonia para o meu
andar.
Busquei alternativas para ordenar meus passos
e identidade absoluta para poder sonhar.
Corri aos livros, aos mestres zens, as literaturas de auto-ajuda.
Fui meditar com os monges budistas,
andei descalço no Tibete,
e toda a sabedoria me chegou sem palavras,
ouvi em silencio o sermão da flor,
e arranquei do peito todo o ódio,
todo o meu rancor.
E como tudo não bastasse, inda me enveredei nas minhas vidas
passadas.
E tudo transcendeu... revelaram-se mundos, e tudo se tornou um,
e fiz do corpo apenas um domicílio espiritual.
E tudo foi muito pouco...
Inda, tendi as tradições xamânicas e recuei no tempo,
e em cânticos dancei com todos os ancestrais... em devaneios,
fui areia, pedra bruta, pedra filosofal.
Mas, certa noite, sozinho... percebi um vazio no peito,
um ardume, uma veemente vontade, uma busca.
De todas as emoções que tive... uma me faltou,
ou foi pouco, ou de tão ínfima que não a percebi.
E relutei tanto na procura... obstinei-me tanto no encalço,
que a encontrei dentro de mim.
Procurava EQUILÍBRIO... o encontrei em abraços com minha alma,
falando de amor.

Ari Mota

5 comentários:

Marilu disse...

Querido amigo e poeta, "andar descalço pelo Tibet"., para mim já bastaria, sou fascinada pelo teto do mundo, suas crenças, seus costumes, devo ter sido monge em alguma vida anterior. Mas querido amigo, você andou por tantos lugares, experimentou tantas sensações diferentes, e achou-se falando de ...amor. Lindo demais. Beijocas

orvalho do ceu disse...

Olá,
O equilíbrio é a força que nos põe em marcha... Avante!!!
Abraços fraternos

Denise disse...

Ari, amigo poeta que fala de uma trajetória de evolução lindíssima, que culmina onde principia, visto que é impossível construir um domicílio espiritual que não repouse no amor...
Como sempre, um final de dia maravilhoso ao passar por aqui.
Meu carinho e bjo de obrigada!

Sonia Pallone disse...

Ari, em meus caminhos poéticos você sempre estará, deixando os rastros da sua emoção...

Obrigada pelo carinho que me sensibilizou lá no Solidão de Alma! Vindo de você,poeta que tanto admiro, foi uma verdadeira alegria ler palavras tão carinhosas e incentivadoras. Bjo no teu coração.

claudete disse...

"Procurava EQUILÍBRIO... o encontrei em abraços com minha alma,falando de amor."
Caro Ari o que dizer quando a sabedoria se manifesta mostrando o quanto é importante transitar pela vida , olhar em torno e encontrar em nós a resposta? Você soube ser sábio! Obrigada pela partilha. Beijos no coração.