segunda-feira, 10 de maio de 2010

EMBRIAGAR-SE DE ALEGRIA


Vez por outra escuto minha alma murmurar,
reclamar,
fala sozinha, anda de um lado para o outro,
resmunga,
esmurra meu peito, faz avistar em meus olhos espanto,
e quase faz verter-se em gotas de choro o meu olhar.
Vez por outra a vejo correr até a esquina,
como se esperasse,
e logo em seguida volta vazia como foi,
solitária como é,
senta ao meu lado, toma meu corpo
e adormece nos meus braços.
São delírios de existências que insiste em ficar,
são vontades perdidas,
são vidas passadas querendo voltar,
são palavras inacabadas, amores interrompidos,
sonhos não vividos,
batalhas perdidas, viagens sem velas em alto mar.
Vez por outra a encontro encolhida num canto,
sozinha,
bebendo da solidão que a vida lhe deixou,
dos amores que teve, das canções que cantou,
dos filhos que não conheceu,
das bocas que não beijou.
Vez por outra saímos... embriagamos de alegria,
bebericamos gotas de orvalho,
cantamos ao luar,
dançamos coladinho a uma bailarina louca,
tendo como platéia um bando de borboletas azuis.
Porque apesar de tudo:
É preciso ter coragem para ser feliz.
E somos.

Ari Mota

6 comentários:

Denise disse...

Triste, mas belo. É preciso enganar a tristeza, num descuido. Desavisados, nem precisamos expulsar a melancolia para hospedarmos a serelepe alegria...basta estar embriagado, envolto nessa magia!

Como sempre, encerro o dia andando por aqui...beijo!

orvalho do ceu disse...

Olá,
Estou nesse empenho de aprender a ter coragem de ser feliz... o amor me impele a isso.
Abraços fraternos e votos de muita serenidade para saborear a essência do amor que é sempre muito bela!

Ana Lúcia Porto disse...

Oi Ari,

Coragem para não nos entregarmos à tristeza... E como poderia deixar perder a oportunidade de se dançar com essas lindas borboletas ao redor... Nesse caso, elas convidam...

Beijos e boa semana,

Ana Cristina Quevedo disse...

A linha emtre a tristeza e a amargura é tênue.
Há de se lutar para não nos amargurar, pois tristezas, vêm e são um desafio constante.

Beijo grande

Sonhadora disse...

Meu amigo
Muito triste e belo ao mesmo tempo seu texto.

Deixo um beijinho
Sonhadora

claudete disse...

Gosto demais de ler o que você escreve , poeta, é sua alma , esta é a diferença de quem não se envergonha de mostrar quem é . A gente se inspira e resgata momentos vividos até quando vê a chuva cair, rs, agora mesmo fui catalizada pela chuva não deixei passar o momento inspirador. Abraços..