quarta-feira, 5 de maio de 2010

CORPO E ALMA



Em 1955 ganhei um corpo,
meus pais o aqueceram e o mantiveram vivo,
alimentaram-no,
e com afeto fizeram-me o que sou.
As estações fluíram nos meus dias, o tempo passou.
E quando na adolescência deparei com o espelho,
achei que eu era aquele que estava do outro lado,
imaginei  beleza, ousadia, sonhos, destreza e força,
não pude ter a percepção do que estava por dentro,
e vivi presumindo que aquele corpo era eu.
E os invernos da vida congelaram o meu existir,
apossaram-se de mim alguns medos, alguns vazios,
algumas saudades, perdi alguns amores, deparei com a solidão.
Eu que tanto apreendi a me ver no espelho, e achar que aquele era eu,
depois de um tempo, quando os cabelos tornaram-se pálidos, escassos,
encontrei um outro ser habitando o meu corpo, fazendo ali sua morada.
Corri no espelho e não me encontrei...
Desesperado, ouvi vozes... vindo de dentro do peito,
serenamente, suavemente deparei com minha alma,
que não refletida no espelho, apresentou-se como sendo eu.
Desde então... neste corpo esconde uma alma,
já não me imagino como antes, com o esplendor da juventude. 
A beleza... não consegui mantê-la na face, a perpetuei nos meus olhos,
e tudo que vejo harmonizo com o necessário e o belo.
A ousadia, ficou na determinação e na resiliência em lutar até o fim.
O sonho... hoje ainda os tenho, mas o dimensiono de outros ângulos,
os vejo de diversos prismas.
A  destreza a transferi para dentro, construo lá esperança e felicidade.
E a força física... tenho perdido pelos caminhos,
mas o destino presenteia-me a força do amor.
Aprendi viver de corpo e alma.
Tenho amado mais a vida do que antes.

Ari Mota


6 comentários:

Denise disse...

Que lindo, Ari! arrisco dizer que aprendeu a amar(se) "de corpo e alma" - a viver com alma esse corpo que hj te sussurra sobre ti...

Beijo, poeta!

Marcello disse...

Aprender a viver.

Eis o segredo de nossa existência.

Mestre, sempre um prazer lê-lo.

Abraços

orvalho do ceu disse...

Que riqueza de post!
Apreciei demais o que diz sobre a beleza e o olhar... lindo paralelo...
É fruto de muita maturidade... Ah! Sou de 54... por issos nos aproximamos nos pensamentos...
Abraços fraternos

Canduxa disse...

Um texto sábio,
de um amigo e poeta sábio
que vive e ama de corpo e alma.

beijinhos de luz para o Ari,

Elaine Barnes disse...

Caramba amigo,sinto exatamente assim.Disse tudo que eu gostaria de dizer. Puxa vida, estou impressionada! Se me autorizar, gostaria de guardar pra enviar a uma amiga.Com os devidos créditos é claro! Aguardo sua resposta ok! Montão de bjs e abraços

claudete disse...

É meu querido olhar e enxergar são diametralmente opostos, porque olha-se com os olhos físicos mas enxerga-se com os olhos da alma,e então crescemos e nos encontramos.O corpo passa a ser importante na medida em que revelo minha alma. Como você descreveu tão bem esta passagem pertinente aos sensatos. Abraços.