terça-feira, 21 de dezembro de 2010

REPAGINAR O FIM


Regressei em revisão às paginas da minha história,
e percebi que não houve extravio e todas estavam lá.
Bem que... umas já amareladas tinham resto de solidão,
outras vazias... estampavam em suplica, sofreguidão.
Encontrei, algumas com resíduo de incerteza,
ainda umedecida de lagrimas que escaparam da alma,
mas regaram meus dias, e tudo se fez beleza.
E fui folheando uma a uma.
As paginas da meninice... continham inocência,
tolices, mais eram repletas de sonhos,
despertava a descoberta, provocava êxtase onde havia dúvida,
desmentia a volta, porque acreditava que tudo seria partida,
incitava a insolência, e tudo era atrevimento, de forma desmedida.
Tempos de insensatez, travessura, descuido e aventura.
E fugazes foram os anos... cresci, tive que fazer minhas escolhas,
amadurecer as pressas, correr contra as intempéries, os temporais,
adaptar-me ao rigor da existência, da indelicadeza do cotidiano,
da rudeza dos homens, da distancia dos desiguais.
E as paginas foram sendo viradas, relembradas.
Uma... de tão intensa, que doeu o peito, encontrei os ausentes,
verteu soluços do que passou, saudade dos que não estão presentes.
Uma até... roubou-me o riso, arrancou-me a graça,
meus desacertos, meus erros, meus fracassos,
e consegui rir de mim mesmo... porque tudo passa.
Regressei em retrospectiva para repaginar o meu existir,
quis reparar alguns enganos,
restaurar abraços esquecidos,
refazer caminhos que não terminei
recuperar olhares perdidos.
Quis repaginar o meu existir, e não foi possível,
o destino proibiu alterar a minha história, a deixou inacessível.
Hoje... só posso escrever o meu fim, com todo o meu fulgor,
com toda a minha loucura,
meus devaneios,
meu amor.

Ari Mota

4 comentários:

Sonia Pallone disse...

Meu querido Ari Mota. Não poderia deixar de vir te dar meu abraço, te desejar Feliz Natal e dizer que você será sempre bem vindo ao meu coração, juntamente com sua poesia maravilhosa. Um beijo, poeta.

Isabel disse...

Vaya forma de escribir tan delicada, cuidada. Expresa belleza.
Felices fiestas.
Un saludo

Maria Izabel Viégas disse...

Ari querido, passei aqui para desejar Felizes Festas para vc e seus amados.
estou devendo tantas visitas. Sempre vejo na minha lista de links teus posts.
Amigo, lindíssima mensagem. Fico surpresa com a riqueza da sua alma.
Tudo que escreve é pleno de Luz!
Em janeiro vou colocar no meu memórias post seu. Nossa... são belíssimos!Minha alma se encanta.

Querido amigo,
Que sejas muito, muito Feliz!
Que 2011 traga surpresas boas, que realizes teus sonhos.
beijos n'alma

Marilu disse...

Querido amigo e poeta, lindíssimo poema, um retrospecto da vida. Mas sempre terminando com o AMOR. Feliz Natal. Beijocas