segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

CALMARIA


Vislumbrei achar que tudo seria fácil, calmaria,
e que brisas, vindas do sul trouxessem aromas de alfazema,
e as ventanias recendessem sândalos em alegria.
Devaneei em espera, como se a perspectiva fosse iludir a vida,
e a aparência em disfarce fosse uma mascara pegada a alma.
Fingi alegria, simulei emoção, dissimulei afeto em alucinação.
Fantasiei-me de outros, e não de mim mesmo, fui ilusão.
Enganei-me, e em desacertos cometi algumas tolices,
mais tudo coisas da meninice...
E tudo passou como uma tempestade, resiliente que sou,
catei todos os cacos, recolhi todos os fragmentos,
colei os pedaços, recompus os sentimentos,
lavei a alma, arranquei do peito toda a dor,
abandonei os discursos, fiz do olhar franqueza,
do abraço beleza, da declaração um ato sem temor.
Fiz silêncio onde tinha ausência, e me encontrei.
E hoje envelheci... sem cair em desuso,
fiquei seletivo... às vezes ando só, e comigo mesmo, recluso,
sem estar em solidão, existo em calmaria, em mansidão.
Falo comigo, em noites de isolamento, me chamo,
grito o meu nome, berro para dentro a procura de eco,
e para mim, sempre é todo dia, e nunca estou sozinho,
nem quando me passam e me deixam a beira do caminho.
Vislumbrei achar que seria fácil... e tudo vivi, e tudo aconteceu.
Hoje é o meu tempo de calmaria, nada ficou, nada se perdeu.
Quando me pedem coisas, corro ao jardim e ofereço flores,
quando indagam meus afetos,
suspeitam dos meus beijos,
duvidam dos meus abraços... olho com ternura...
para todos os meus amores.
Vislumbrei redimensionar o meu existir em calmaria,
e o fiz... com todo o esplendor,
e hoje tenho coragem de viver em alegria,
e amor.

Ari Mota

3 comentários:

Denise disse...

Como previ, muita coisa linda por aqui, meu amigo querido - e inspirado.

Hoje estou em calmaria tb, compreendo essa quietude depois da tempestade que atravessou os desertos comigo...
É no silêncio que a gente encontra - a si e às respostas.

Dá saudade este cantinho recheado de emoções e sentimentos profundos. Deixo um bjo e o desejo de uma ótima semana!

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

Passando para deixar um beijinho.

Sonhadora

claudete disse...

Ari..Quanta emoção, serenidade vertidas em calmaria fruto da tua resiliência...No final tanta beleza reunida. Parabéns , meu querido este é o verdadeiro espírito de Natal...renascer!