terça-feira, 26 de outubro de 2010

A GAROTA E A MULHER


Fui passear em memória, ao passado...
procurava apenas contemplar o que vivi,
reencontrar o esplendor da beleza,
a sutileza da juventude, a vivacidade do olhar.
Fui revolver o passado... bulir com o tempo,
não a procura, nem em busca de coisas,
nem ao encontro do que perdi,
mesmo porque... tive que jogar fora os excessos,
deixar pelo caminho os ressentimentos... magoas que senti,
pesos em demasia que no peito trazia... só para sofrer.
Fui de encontro ao tempo... da juventude,  
da ingenuidade do beijo,
da inocência do abraço,
da limpidez do gracejo, do bem querer.
Caminhei ao acaso, para rever nosso caso... que se fez amor.
E que de resto encontrei, em desvario... fiquei,
nossa praça vazia, nosso cinema em agonia, nosso jardim sem flores,
nosso passeio sem rumo, nossa ilha... sem amores.
Voltei à procura da menina moça, da garota da minha rua,
que ainda em noites de devaneios, sozinha reaparece... insinua.
Fui... bulir com tempo.
E em suspiro, dei-me casualmente com a lembrança,
e em delírios, foi-se a travessa menina,
a inquietante garota, a virginal criança.
O tempo fugaz... efêmero como uma ventania,
metamorfoseou a garota em mulher,
de frágil se fez beleza, de doce se fez leveza.
Fui... bulir com tempo,
minha alma... quando depara com a garota,
a olha com amor,
quando o faz com a mulher,
também.

Ari Mota

5 comentários:

Marilu disse...

Querido amigo e poeta, essas voltas ao passado, muitas vezes nos deixam muito tristes, de pensar o que poderíamos ter feito e não o fizemos, por medo ou receio. Quando somos jovens nada nos parece impossível, mas quando nos damos conta o tempo já passou e levou consigo nossos melhores anos. Tenha uma linda semana. Beijocas

Ana Lúcia Porto disse...

Oi Ari...!!

Há amores e paixões que tornamos a encontrar. E é só olharmos nos olhos que a aparência some e, então, voltamos naquele tempo remoto...

Eu, particularmente, adoro quando isso acontece comigo...(raro!). Uma viagem sem culpa nos leva ao passado... Sinto muito, não me contive...

Beijos, Ari.

Everton Augusto disse...

Belo post.
Abraço.

Majoli disse...

Que lindo Ari, eu muitas vezes me pego nessa viagem ao passado.
A mulher que adora ser menina por alguns momentos.

Parabéns, ficou lindo e emocionante.

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

A nostalgia nos segue sempre nessas viagens ao passado...um belo texto como sempre.

beijinhos
Sonhadora