quarta-feira, 13 de outubro de 2010

CRIANÇAS E BORBOLETAS

Quando a maturidade fez acampamento em minha alma,
passei a ver o existir de outro ângulo,
aclarou-me que atravessei toda minha existência por analogia,
e abraçado com a incerteza,
fiz da duvida um cismar eterno, nostalgia.
E na descoberta, tudo que ouvi, tudo que li... duvidei,
veio-me a memória que em todas as histórias que escutei,
em quase todas desacreditei.
Fiz desconfiança nos discursos... dos homens,
no seu olhar insolente, no seu desfilar em desaforo,
na sua infinita deformação da verdade,
no desvirtuar da decência, na ausência de choro.
O avistei ávido de mando,
sedento de cinismo,
coberto de mentiras.
Quando a maturidade fez acampamento em minha alma,
escapei dos que querem subjugar meus devaneios,
fazer-me menor, constranger meus saltos, meus vôos,
e meus delírios.
Hoje...
Abono como companhia... umas borboletas azuis,
uma doce e louca bailarina,
e crianças... que em metáfora... as concebo,
como se fora um diamante já lapidado,
reluzente,
com suas facetas refletindo o brilho da vida,
a beleza da inocência,
a pureza do existir,
e falando de amor.

Ari Mota

6 comentários:

Marilu disse...

Querido amigo, de pedra bruta a diamante lapidado, da inocência a maturidade, a pureza do existir e o falar de amor. Lindo poema. Beijocas

Sonhadora disse...

Meu querido amigo
Como sempre os teus textos, são vida.

beijinhos com carinho
Sonhadora

Ana Lúcia Porto disse...

Oi Ari,

Perfeito... Que maturidade mais bem colocada e fortemente guarnecida...!!

Gostei muito. Faz sentido.

Beijosss e me diga porque sumiu...!!

Ana Lúcia Porto disse...

Estimado Ari,

Passar diariamente em meu blog (?!) e não deixar uma palavra sequer, me faz vir aqui, reivindicar a sua visita, que não se pode defini-la se eu não souber. Ou seja, sem um comentário, você continua ausente para mim...

Fica ao seu critério em me visitar, apenas quis que soubesse que senti a sua falta...

Quando por lá estiver, faça-me saber, por favor...

Beijos,

Ana Lúcia Porto disse...

Lembre-se que aprecio as suas palavras...

Kelly disse...

a maturida vem acompanhada de muita sabedoria. Adorei seu texto!! beijos