sexta-feira, 6 de agosto de 2010

RISCOS


Houve um tempo em que escondi meus medos,
impus silêncio as minhas incertezas...
fiz calar meu grito,
atemorizei-me com o inusitado, distanciei-me do combate,
da disputa,
fiz do meu existir uma fuga, um esconder...
ocultei-me das circunstancias, esquivei-me da luta.
Houve um tempo em que o destino exigiu-me impetuosidade,
atrevimento,
tive que romper barreiras, destruir paradigmas,
lançar fora conceitos.
No limiar da minha descoberta... ousei mudar, alterar o rumo,
erguer-se em vôo.
Fiz da minha alma um fulgor latente, e a externei em tenacidade,
e ousadia,
fiz de mim um acontecimento, dos meus sonhos... riscos,
e da minha estrada a duvida... extasia-me o competir,
o irresoluto.
Perdi o medo de perder... obstino tentar sempre,
teimo em recomeçar, intento em arriscar.
Mudo todas as manhãs... todas as perspectivas.
Redescubro-me em novos sonhos, em novos amigos,
em novos amores.
Redescubro-me em novos perigos, em novas teimosias,
teimo em ser feliz.
Fiz resiliência em minha alma,
recupero e supero as adversidades,
mudo pelo prazer de recomeçar...
todos os dias... com amor.

Ari Mota

7 comentários:

Lara Amaral disse...

Sempre dizeres que me fazem sorrir encontro por aqui.

Beijo, poeta.

Bruno disse...

Caro Amigo, poeta e Pai.
O talento fez morada na tua arte.
Beijos ... Bruno Mota

Marilu disse...

Querido amigo e poeta, mais um lindo poema, como diz teu filho"o talento fez morada na tua arte".Tenha um lindo final de semana, um feliz dia dos pais...Beijocas

Denise disse...

Alma resiliente, coração resistente para os recomeços, teimar em ser feliz...um conjunto de elementos indispensáveis para, a cada dia, renascer - na esperança e nos sonhos, para construir o império dos desejos mais lindos!

Beijos e feliz dia dos Pais, meu amigo querido!

Marcello disse...

Fiz resiliência em minha alma,
recupero e supero as adversidades,
mudo pelo prazer de recomeçar...
todos os dias... com amor.

Talvez seja a fórmula pra vivermos melhor, não ?

Abraços poeta.

Angélica Lins disse...

Aqui encontrei muitas coisas que precisava hoje...Obrigada!

Abraço.

Sonia Pallone disse...

Ari Mota, grande Poeta, sua alma recita nesse espaço, e eu abrigo com amor o invisível perfumado das suas palavras... Deixo meu beijo e minha alegria por estar de volta e poder novamente me emocionar com você.