domingo, 10 de abril de 2011

REPENSAR O EXISTIR



Há que se debruçar sobre si mesmo um dia,
e se olhar como nunca o fez,
e depois descortinar a alma, e repaginar o fim.
Nem que no último instante seja tocado pela solidão,
nem que tenha que discutir a dúvida, o talvez.
E encarar os erros, afrontar a dor, e abafar o grito.
E na descoberta... vê que não se conheceu,
perdeu ao longo do existir contato com o próprio eu.
Olhou em demasia para os outros,
não teve prudência de si para si,
feriu a própria a carne,
flagelou-se com medo... do medo,
atormentou-se com o silêncio,
estremeceu com as incertezas e com os vazios.
Há que se debruçar sobre si,
nem que seja no último instante.
E ter coragem de olhar... com amor para o que viveu,
olhar para a alma, para si... como há muito não via,
e, todavia...
ter a certeza...
que tudo valeu.

Ari Mota

5 comentários:

ASTROTERAPIA JUNGUIANA disse...

Texto fantástico ainda mais com a persona de Michael Douglas. Esse Sagitariano incrível de várias facetas.
Devemos sempre acessar nosso inconsciente. Abraço Cynthia.

Denise disse...

De novo passo por aqui e levo novas reflexões para velhas questões...
Tão bonito esse despertar, Ari, encanta-me essa profundeza em que vc mergulha. Parece a vastidão do mar...

Uma semana cheia de luz pra vc!
Beijo

Marilu disse...

Querido amigo, o importante é olhar para tráz e ver que tudo valeu a pena. Tenha uma linda semana. Beijocas

Lara Amaral disse...

Gostei do texto, Ari!

Grande abraço, ótima semana para vc.

Nara Sales disse...

As lágrimas em mim dizem mais do que minhas palavras ao te ler.