domingo, 24 de junho de 2012

PROVER A ALMA DE SONHO

Para todos os reinícios... recomeço,
arrisque mais um tanto... e depois mais uns...
sem desistir nenhuma vez.
Todavia, se a incerteza acomodar ao seu lado, como uma ventania,
use a força do vendaval para mudar, sair do lugar,
descortinar todas as duvidas, e desnudar o talvez.
Nem que irresoluto, esteja com medo, nem que o peito arda de solidão,
ou que a insônia traga desespero... e a madrugada roube a ilusão.
Não permita... esvaziar a alma,
pode ser que você passe a consumir a si próprio,
e, ficará... vazios, onde deveriam existir sonhos.
E de todas as patologias... a autofagia da alma,
é a mais perversa delas, a que vai lhe abater,
e subtrair-lhe a calma,
não só nesta vida, como em outras que viverá,
não se deve fugir dos combates, dos embates que o dia nos dá,
se o fizer neste existir... morrerá para sempre,
ofereça resistência... arrisque mais uma vez.
Reabasteça a alma para as intempéries do destino,
destes invernos que chegam sem avisar.
Recolha-se, realinhe-se...
Faça uma reengenharia no olhar,
traceje um novo caminho, nem se sozinho,
tiver de continuar.
Existir é assim... tem suas estações.
Prepare-se, são sucessivas transformações,
a vida tem seus invernos, mas também seus verões.
Não esqueça, de prover sua alma de sonhos,
se, vazia... terás que nutrir-se, da sua própria substância,
e tênue é nossa energia.
E existir é assim... tudo, num tempo muito curto, pode esgotar.
Proveja de sonho... a sua alma,
arrisque mais um tanto...
Continue... nada termina... nem o amor, nem as batalhas,
só mudam de tempo,
e de lugar.

Ari Mota

2 comentários:

claudete disse...

Ari , entendi e ratifico tua opinião " nunca esvaziar a alma", os resíduos serão sempre a matéria prima a ser burilada e lançado ao mar, ao céu ou ao vento seguindo a direção forda pelo tempo e pelas circunstâncias.Abraços.

Marilu disse...

Querido amigo e poeta, precisamos sempre abastecer a alma de sonhos, sem eles não existimos. Lindo poema. Tenha um excelente final de semana. Beijocas