quinta-feira, 17 de março de 2011

TERREMOTOS DA ALMA


Não se esqueça de aperceber estes sismos vindos de dentro,
estes abalos que sacodem sem destruir,
estas vibrações que implodem a alma,
sem agredir.
Somos acometidos destes terremotos imaginários,
destas ondas em revolta, destes tsunamis vestidos de agonia,
destes pingos de lágrimas que dilaceram, sufocam feito maresia,
destes desamparos em noites de solidão, destas madrugadas frias,
em manhãs de aflição.
Mas... não se desespere... entre em estado de resiliência.
Como já não possuímos mais os caminhos, nem estradas para andar,
nem pistas para decolar.
Saia sem destino, sem hora e nem aonde chegar.
Há um talvez lhe esperando ali no horizonte,
um abraço escondido além do por do sol,
um amor em desejo aquém dos seus beijos,
um... outro vento, uma brisa diferente, uma ponte.
Só não desista de ser feliz.
Nem que custe, nem que doa,
nem que o faça caminhar sozinho,
nem que o medo venha lhe fazer companhia,
e em desassossego ser seu vizinho.
Insista...
Às vezes estes sismos vindos de dentro, estes abalos existenciais,
são nossas almas... reclamando carinho,
somos nós mesmos,
querendo amor.

Ari Mota

8 comentários:

Denise disse...

Como vc se supera, Ari...desta vez, me fez estremecer, meu amigo...

Maravilhoso esse retrato da revolução interna, desse clamor (note o amor, que vc tanto gosta de inserir e assinar teus textos, incrustado na palavra) da alma que não se deixa vencer...

Obrigada, por mais este presente.
Bjo

Nara Sales disse...

Ari, você sempre faz minha cabeça concentir a tudo que escreves.
Poetas da alma, assim como você, são bons e poucos!

dja disse...

Nossaaaaaa
Lindo!!!!

Poxa Ari muitas vezes precisamos mesmo desses terremotos dentro de nós.

Beijinhosss

E um Bom dia!!!

claudete disse...

"Há um talvez lhe esperando ali no horizonte"
Ari esta frase marcou...sempre haverá uma esperança a ser buscada e encontrada no obscuro limbo em que estivermos imersos. Bela crônica meu querido.

Marilu disse...

Querido amigo, entre poemas, poesias, contos, histórias tão diversas de cada um de nós,
muitas vezes fazemos com que pessoas riam, chorem, fiquem emocionadas. Somos blogueiros
colocamos nossos sentimentos em cada palavra, a todas nós Parabéns pelo nosso dia.
Feliz dia do Blogueiro.

Maria Izabel Viegas disse...

Amigo,
sabes que sou há muito tempo apaixonada pelos teus textos.
Este, belíssimo!
Gostei tanto, tanto que fiz um link no meu Simples Assim.
Beijos nesta tua doce alma!

Sonia Pallone disse...

Que estranho...achei que já tinha comentado esse post seu...Em todo caso, não me furto ao prazer de dizer que respiro sua poesia como se fosse um raro perfume, daqueles que impregnam o coração da gente... Bjs meu querido Ari.

Marcello disse...

estes abalos existenciais,
são nossas almas... reclamando carinho.

Fato !!!!!!!!!