quarta-feira, 3 de novembro de 2010

O BEIJO


Em constante procura...
percorri o meu existir no desejo do toque,
na súplica de um beijo.
Fitei tantas bocas, contemplei tantos lábios,
ensaiei tantos encontros.
Aflito reclamei tantas fantasias, beijei no escuro do cinema,
escondido... depois de um poema,
Em desespero... em agonia, beijei nos bares, nos botecos,
beijei bocas embriagadas... em pandarecos,
beijei bocas indiferentes, solitárias, amarguradas, inocentes.
beijei bocas vis, acanhadas, preparadas, desinfeliz.
beijei bocas estúpidas, desesperadas, abandonadas, e feliz.
beijei dançando na chuva, na praça, no banco do jardim,
na cama, no chão, ao vivo... em cores, ao som de um bandolim.
Beijei bocas escandalosas, nervosas, proibidas,
desnecessárias, inibidas.
Beijei bocas gostosas, frias, indolentes, atrevidas.
Beijei tantas bocas...
E nada sobrou... sequer um gosto, um sabor,
sequer a leveza do olhar, sequer a pureza do amor.
Mas um dia... o destino em capricho, atirou-me... em seus lábios,
minha alma em festa, saiu.. em seresta,
e bailei ao som das mais românticas cantigas,
colei meu rosto na mais aveludes das peles,
e como um traiçoeiro... fiz-me de posseiro,
e furtei-lhe a doçura do beijo.
Beijei todas as bocas... em todos os bailes,
em todas as camas, ao despertar do sol, ao pôr da lua,
mas só uma...
deixou-me essência,
a sua.

Ari Mota

3 comentários:

Denise disse...

Que bom te rever aqui...já estava a convocar nossos amigos pra juntos bem alto - e forte - te chamar...rs

O amor mais bonito é aquele que resiste aos temporais, que não cede lugar nem deixa de morar no centro das lembranças mais felizes...
Um texto lindo - um brinde, um sopro de vida...
Bjos encantados!

Marilu disse...

Querido amigo e poeta, beijou tantas e tão diferentes bocas, que nada lhe disseram. Mas o beijo de amor que ficou foi apenas um. Lindo poema. Beijocas

Sonhadora disse...

Meu amigo

deixando um beijo, deste lado do mar.

beijo
Sonhadora