domingo, 9 de dezembro de 2018

A EMBRIAGUEZ DE UM ANJO

Imaginem... essas cenas:
Olho ao meu redor e vejo inebriado o meu anjo,
que doidice foi aquilo, momento lúdico,
era tanta ventura, um acaso do destino, um arranjo,
eu e ele entrelaçados, misturando risos e inocência,
ouvindo “zorba o grego”, nas ruas de athenas.
Mas, também pudera... talvez, foi aquele vinho Grego,
que tomamos com Dionísio aos pés do Parthenon,
naquela madruga fria... de delírio e loucura,
que nos fez subir até a acrópole, lá na altura,
para ver o mundo, falar de sonhos,
filosofar sobre o desapego.

E o meu anjo... em êxtase,
repetiu varias vezes:
- O sonho não pode perecer.
Embora sabendo que seria repreendido,
confidenciou-me baixinho,
no silencio da noite e antes de amanhecer:
- a alma desconhece o tempo,
só o corpo ficou preso a essas pequenezas,
e será reduzido a poeira, esquecido em algum lugar,
enquanto a alma... essa sim, eterna,
exibirá o quão valeu sonhar,
estampará todas as suas tentativas,
evidenciará todas as suas batalhas,
o quanto evoluiu para em outras vidas voltar.

Sonhe até a exaustão,
sonhar, não passa de uma energia descomunal,
o manterá para sempre de alma jovem,
e tornará aprazível até a solidão.
Mas, não o deixe escassear,
escorrer visceralmente, ficar pelo caminho,
o mantenha aceso, faça com que arda,
não permita que o sonho venha a acabar.

E se uma nuvem entediante envolver sua alma,
troque... de perspectiva, de perfil, o retrato atual,
encontre outros desafios, outros livros, uma nova flor,
troque as pessoas tóxicas, por seres mais leves,
mais livres... embebecidas de ternura,
impregnadas de amor.

Ari Mota

2 comentários:

勝樺工作室 disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Unknown disse...

Depois de ler várias vezes. Descubro uma caixa de surpresa,a vida.
A surpresa é quando você se descobre e começa um ciclo novo de como ser.👏