domingo, 9 de outubro de 2011

RETOCAR OS SENTIMENTOS


Quando menino, achei que a vida iria me ofertar a direção,
e que era só seguir um roteiro, ou trazer no bolso, um manual.
E fiquei ali na esquina do tempo... a espera de um destino,
inequívoco foi, que só encontrei ventania, temporal.
Tive que agarrar aos desafios, as desventuras, ao recomeço,
fui me acomodando ao desconforto da perda, da solidão,
fui me aquietando a invasão do tempo, ao sumiço da juventude,
e tudo foi crescimento, aprendi a tirar da vida o que ela não oferece,
arranco dela... os meus ensaios, as minhas tentativas,
provo todos os sabores, enxugo às vezes... todas as lagrimas,
engulo em silêncio as minhas derrotas,
e emudeço com minhas vitórias,
são meus exercícios, minha vicissitude.
Sei... que me foi à robustez do corpo, e sem prantos,
quando nos entardeceres, um vazio rompe de dentro,
atormentando a calma,
e o peito embrutecido apercebe um vão despegar a alma,
e um vácuo quebrantar em desassossego e me furtar à quietação:
Retoco os meus sentimentos, jogo fora outros tantos,
e depois... abro outros caminhos, outros horizontes,
ando desprendendo das vaidades, despregando das coisas,
substituindo valores, redefinindo o fim... os amores.
Retoco tanto o que tenho por dentro, reinicio-me a todo momento.
Garimpo dentro de mim coragem para ser feliz,
caminho ao acaso em busca de equilíbrio, sensatez.
Retoco os meus sentimentos, os corrijo em demasia,
hoje sou menos desespero... mais calmaria.
Ando retocando, reinventando os meus afetos,
e como aprendiz... sei que a grandeza da vida são os detalhes,
hoje já não busco sem prudência os aplausos,
nem a fugacidade da evidência, do glamour,
nem tão pouco, os altos píncaros... sou mais planície,
ando em devaneios com a singeleza.
Retoco os meus sentimentos em busca de beleza,
e amor.

Ari Mota

Um comentário:

claudete disse...

É amigo querido você soube sair do casulo e transmutar-se ..É este exercício diário que te traz a renovação,pela humildade e pela coragem. Interessante, acabei de publicar no Blog da Claudete um assunto que coincide com teu texto. Admiro muito tuas reflexões. Abraços.